Doping

Afinal, como é feito o exame antidoping? Nós te explicamos!

abril 24, 2019
Tempo de leitura 3 min

Você sabe como é feito o exame antidoping? Esse é o assunto mais polêmico no mundo dos esportes. Nas competições desportivas, o objetivo dos atletas é se destacar em relação às demais equipes participantes, assim, aquele que domina as melhores performances será o vencedor da competição.

Logo, há o conhecimento de substâncias que podem melhorar o desempenho dos atletas, porém, é uma prática desonesta, pois desenvolve vantagens sobre os demais competidores. Por esse motivo, existem equipes preparadas para realizarem exames nos atletas que detectam esses medicamentos no organismo.

Esse assunto é um tema importante para os atletas, por isso, vamos explicar o que é o exame antidoping e como é realizado. Acompanhe!

O que é antidoping?

Primeiramente, devemos entender que o doping é o nome do uso de substâncias que impactam de forma artificial no desempenho do esportista, indo além de treinos regulares. Essa ação não é bem-vista pela sociedade desportiva, porque há desiguais vantagens no período de competição. Além disso, essas substâncias podem prejudicar o organismo do usuário.

Por esse motivo, a WADA (Agência Mundial Antidoping) foi desenvolvida para classificar, realizar exames e demais procedências para evitar o doping entre os atletas. Ou seja, essa agência é a responsável por realizar exames antidoping para evidenciar se o esportista está dopado ou não.

Como é feito o exame antidoping?

O exame antidoping é feito por meio de uma análise após as provas das competições e pela coleta da urina do atleta, pois as substâncias usadas são eliminadas do organismo dessa maneira.

Basicamente, são quatro tipos de elementos ilícitos mais usados:

  • os estimulantes para o sistema nervoso;
  • os diuréticos que ajudam a eliminar substâncias no corpo pela urina;
  • os calmantes para relaxar;
  • e as drogas injetáveis que ajudam com o fôlego e a resistência física.

Para evitar transtornos e complicações, essa mesma coleta é realizada com supervisores do mesmo sexo que o atleta, tudo isso para prevenir possíveis fraudes.

O material coletado será dividido em duas partes, para a prova e para contraprova. Isso significa dizer que a análise detecta a presença dos elementos ilícitos prescrito pela Agência Mundial de Antidoping. Elas serão usadas para contraprova, caso o atleta recorra da infração cometida.

Essas infrações são classificadas pela mesma Agência, podendo punir o atleta com a eliminação da competição ou julgá-lo pelo comitê. Vale destacar que, algumas vezes, as substâncias proibidas podem ser prescritas por médicos por conta do estado de saúde do atleta, Assim, ele deverá comprovar os procedimentos que o médico orientou e por qual motivo, provando que a ideia não é ter vantagem nas competições.

Portanto, cada caso será analisado e julgado de maneira isolada para não trazer transtornos aos atletas. Dessa forma, é possível manter a competição justa. No início, será solicitada uma explicação ao competidor. Após esse momento, caso exista um motivo plausível, o atleta será liberado. Do contrário, ele será julgado da maneira justa e leal pela WADA.

Essas foram as explicações de como é feito o exame antidoping, ajudando a esclarecer as principais dúvidas sobre esse assunto. Quer saber mais? Siga a gente no Facebook e no YouTube para ficar atualizado sobre os nossos assuntos desportivos.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário