Direito Desportivo

Entenda a classificação funcional dos esportes paraolímpicos

setembro 2, 2019
Classificação funcional dos esportes paraolímpicos: como funciona?
Compartilhe este conteúdo

O esporte é uma atividade muito procurada por pessoas de diferentes condições e faixas etárias. Por apresentar várias formas e modalidades e oferecer diversos benefícios vinculados à sua prática, vem ganhando cada vez mais espaço entre as pessoas com deficiência.

Para incluir de forma mais eficiente as pessoas com deficiência nas atividades desportivas, é utilizado um sistema de classificação funcional dos esportes paraolímpicos.

Para aprender mais sobre o assunto e de que forma é feita essa divisão, siga a leitura!

Como funciona a classificação funcional dos esportes paraolímpicos?

Cada esporte tem um sistema de classificação. Dessa forma, atletas que praticam mais de uma modalidade recebem uma especificação diferente para cada uma delas.

A classificação é feita por uma equipe composta por três profissionais da área de saúde — médico, fisioterapeuta e professor de Educação Física — e é realizada em três etapas, como veremos a seguir.

Avaliação Médica

Essa é a primeira avaliação a ser feita. Nela é realizado um exame físico para verificar a patologia do atleta e qual o comprometimento muscular para determinados movimentos. Os resultados obtidos são registrados em fichas que são arquivadas no banco de dados do Comitê Paraolímpico Brasileiro.

Avaliação Funcional

Após a etapa médica, é realizada a avaliação funcional, em que são realizados testes de força muscular, amplitude de movimento articular, medição dos membros e coordenação motora, relacionados aos grupos musculares exigidos na prática daquela atividade.

Avaliação Técnica

Por último, temos a etapa técnica, que consiste na demonstração da prova. O atleta precisa realizar essa etapa utilizando as adaptações necessárias. Nela é observado como os grupos musculares se comportam em relação à realização do movimento e à técnica, assim como em relação às órteses e próteses. 

Leia mais:  Como pedir patrocínio esportivo? Confira como você pode fazer!

Quais são as classificações?

As diferentes classificações garantem que as competições sejam equilibradas. São reconhecidas cinco categorias de deficiência para a participação em competições oficiais: paralisia cerebral, deficiência visual, pessoas em cadeira de rodas, amputados e les autres (pessoas com alguma deficiência locomotora).

Caso o desportista compita em mais de uma modalidade, receberá uma identificação para cada. Essa classificação funcional dos esportes paraolímpicos é baseada nas habilidades que independem do nível de conhecimento adquirido ou treinamento realizado.

Cada atleta recebe um número de dois dígitos: um indica a natureza da patologia, e o outro o nível de capacidade funcional que ele tem. Quanto menor o número, maior é o comprometimento.

Veja as classificações de alguns esportes.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Basquete em cadeira de rodas

Os atletas são classificados de 1,0 a 4,5, de acordo com sua capacidade. A soma dos pontos dos membros da equipe em quadra não pode ultrapassar 14 pontos.

Futebol de 5

O futebol de 5 é exclusivo para deficientes visuais severos, que usam vendas no jogo. A exceção é o goleiro, que enxerga, mas não pode deixar a área do gol.

Natação

A classificação é pela letra da modalidade associada ao número da classe funcional. O nado livre, costas e borboleta são indicados pela letra S; o peito por SB; e o medley, SM. Os nadadores são agrupados em 14 classes funcionais: 1 a 10, limitações físico motoras; 11 a 13, deficiências visuais; e 14, deficiências intelectuais.

Por que a classificação funcional é realizada?

As pessoas têm diferentes níveis de comprometimento em uma mesma categoria de deficiência. Em uma competição desportiva, caso não houvesse diferenciação, provavelmente o indivíduo com menor comprometimento venceria o com maior grau.

Leia mais:  Entenda como funciona o contrato especial de trabalho desportivo

Por isso, é importante procurar agrupar atletas com perfis semelhantes para garantir uma competição mais justa possível, de acordo com a condição física. Assim, a classificação funcional dos esportes paraolímpicos pode ser utilizada para equilibrar competidores com deficiências de graus diferentes.

O esporte é uma atividade de grande valor para a sociedade e ganha mais importância como ferramenta de inclusão com a prática adaptada às pessoas com deficiência.

O sistema de classificação funcional dos esportes paraolímpicos se constitui como uma forma eficiente de conduzir uma competição mais justa e equiparada, nivelando os aspectos da capacidade física e competitiva e oportunizando a competição entre indivíduos com vários comprometimentos.

Gostou das dicas? Para ficar por dentro das novidades, siga as nossas redes sociais. Estamos no Facebook e no YouTube!

Entre em contato com nosso escritório que daremos todas as informações para sanar suas dúvidas!

(11) 2403-3180
(11) 97053-3654 WHATSAPP

Site Oficial: http://www.advocaciamariapessoa.com.br/index.php

Contato EspecialistaPowered by Rock Convert
Você sabe com quantos anos o menor pode assinar um contrato como jogador de futebol? Você sabe quais os direitos trabalhistas que o jogador de futebol possui? Nós, da Advocacia Maria Pessoa estamos à disposição para te auxiliar! Somos um escritório de Advocacia com assessoria jurídica desportiva especializada que conta com profissionais capacitados para as mais diversas demandas. Atuamos na área do Direito Desportivo, Direito Trabalhista, Direito Cível, Direito de Família e Direito Previdenciário. Podemos te auxiliar? Entre em contato conosco e agende sua visita em nosso escritório: (11) 2403-3180, (11) 97053-3654 (Whatsapp), e-mail: maria.pessoa.lima@terra.com.br . Ficaremos honrados em atendê-lo!

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply