Direito Desportivo, Orientações Gerais

6 vantagens da dupla cidadania para atletas e jogadores de futebol

novembro 23, 2020
Compartilhe este conteúdo

A dupla cidadania para atletas costuma ser bastante valorizada, principalmente entre os jogadores de futebol. No último post, inclusive, falei um pouco mais sobre isso, inclusive sobre quem pode tê-la.

Agora, portanto, dando continuidade, chegou o momento de falar mais especificamente sobre os benefícios da dupla cidadania para atletas. Então, será que você tem algo a ganhar com uma nacionalidade estrangeira? Veja!

1.      Facilita a burocracia do clube

Ninguém gosta de burocracia, não é mesmo? Pois isto é verdade para todo mundo, inclusive para os clubes de futebol de todo o planeta. Por isso, ter dupla cidadania é uma ótima para atletas aqui.

Isto ocorre porque os clubes têm regras às quais têm de seguir, inclusive sobre a inscrição de estrangeiros. É algo que falei, por exemplo, nestes posts de como jogar em Portugal e como jogar no Qatar.

Se você tiver uma documentação estrangeira, há todo um processo burocrático elevado, que é mais demorado e custoso. Além disso, você entra numa espécie de cota que cada equipe possui para jogadores vindos de outros países.

2.      A dupla cidadania aumenta as chances de jogar no exterior

Em suma, portanto, o que falei acima demonstra que ser estrangeiro torna mais difícil no exterior. Em geral, as federações tentam induzir os clubes do seu país a contratar o máximo possível de jogadores nacionais e trazer de fora só os diferenciais.

Assim, se você tiver, por exemplo, uma segunda nacionalidade europeia e for jogar na Europa, fica mais fácil para os clubes inscreverem você. Isto porque você conta como um nacional de lá, embora ainda continue sendo também brasileiro.

Leia mais:  Conheça 4 casos de morte de jogadores em campo e só deixaram saudades

3.      Abre um leque de novas opções

dupla cidadania

Antigamente, ter convites para jogar no exterior era algo mais raro e que era mais exclusivo de atletas mais conhecidos. Esta realidade, porém, já não é mais a mesma hoje em dia.

Atualmente, cada vez mais brasileiros têm oportunidade no exterior, e são cerca de mil saindo a cada ano. Isto ocorre com jogadores profissionais, de categoria de base e de basicamente todos os níveis.

Neste processo, ter uma dupla cidadania é, para atletas, um grande benefício. Isto faz com que haja um leque de novas opções para você considerar, porque sabe que pode ter mais chances de ser contratado no mercado que você tem dupla nacionalidade.

4.      A dupla cidadania permite jogar por outra seleção

É verdade que poucos são os jogadores de futebol que chegam à seleção. Isto é válido principalmente para as potências, como é o caso de Brasil, Alemanha, Itália, Argentina, entre outros.

Neste caso, porém, se você chegar a este nível e tiver dupla cidadania, pode almejar a sua vaga na seleção, e não estou falando da brasileira. Isto mesmo, quem tem dupla nacionalidade pode jogar tanto pelo Brasil quanto pelo outro país o qual é cidadão.

Nesta direção, uma estimativa recente mostrou, inclusive, que uma a cada quatro seleções de países da Europa tem jogadores brasileiros. Este caso é complementado por alguns países árabes e até a China, que tem levado jogadores para serem naturalizados e jogarem pelo país.

Veja, então, alguns exemplos abaixo:

  • Marlos (ex-Coritiba) e Júnior Moraes (ex-Santos) defendem a Ucrânia
  • Jorginho (Chelsea) defende a Itália
  • Pepe (ex-Real Madrid) defende Portugal
  • Cicinho (ex-Santos) defende a Bulgária
  • Mário Fernandes (ex-Grêmio) e Guilherme (ex-Athletico Paranaense) defendem a Rússia
Leia mais:  O que diz o CBJD sobre racismo no futebol? Saiba aqui!

5.      Nem sempre é um processão complicado

Outro benefício de ter dupla cidadania para atletas é que este nem sempre é um processo tão complicado quanto alguns acreditam ser. Isto depende de uma série de questões, mas é completamente factível.

Então, quais seriam estas questões que podem facilitar? Por exemplo, o país (alguns são mais fáceis e rápidos, outros mais difíceis e demorados) e o quanto você tem facilidade em obter a documentação necessária influenciam diretamente na complexidade do processo.

6.      Permite visitar outros países

Bom, um benefício adicional de ter uma dupla cidadania é que você pode visitar mais países, dependendo das suas nacionalidades. Então, não é necessariamente voltado ao futebol, mas é válido.

Isto é bem nítido quando falamos de visitar os EUA, por exemplo. Para viajar para lá, se você é brasileiro, então precisa de visto; se tiver segunda nacionalidade europeia, porém, não precisa. Assim, ser europeu melhora até as chances de obter um teste por lá, por exemplo.

Estes processos de dupla cidadania podem parecer confusos à primeira vista e são repletos de detalhes. No entanto, são possíveis de serem feitos e têm um potencial de vantagens muito grande.

Portanto, para saber mais sobre isso, fique atento às nossas outras postagens! E, se você decidir ter a sua dupla cidadania para jogar futebol, então venha conversar com a advocacia Maria Pessoa que estamos prontos para atendê-lo!

Você sabe com quantos anos o menor pode assinar um contrato como jogador de futebol? Você sabe quais os direitos trabalhistas que o jogador de futebol possui? Nós, da Advocacia Maria Pessoa estamos à disposição para te auxiliar! Somos um escritório de Advocacia com assessoria jurídica desportiva especializada que conta com profissionais capacitados para as mais diversas demandas. Atuamos na área do Direito Desportivo, Direito Trabalhista, Direito Cível, Direito de Família e Direito Previdenciário. Podemos te auxiliar? Entre em contato conosco e agende sua visita em nosso escritório: (11) 2403-3180, (11) 97053-3654 (Whatsapp), e-mail: maria.pessoa.lima@terra.com.br . Ficaremos honrados em atendê-lo!

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply