Direito Desportivo

O que é passaporte biológico do atleta?

outubro 2, 2019
Passaporte biológico do atleta: confira do que se trata
Tempo de leitura 3 min

O aumento dos casos de doping, nos últimos anos, trouxe à tona a necessidade de criar mecanismos de controle capazes de analisar de forma eficiente os dados dos jogadores para que apontem o uso de substâncias proibidas no esporte.

Para atender a essa demanda, começou a ser implementado o passaporte biológico do atleta. Esse método permite traçar um perfil individual de cada esportista por meio da extração de vários dados em uma mesma análise.

Para aprender mais sobre esse assunto e conhecer seu papel na luta contra as drogas no esporte, siga a leitura!

Qual a função do passaporte biológico?

Os atletas profissionais são submetidos, periodicamente, a exames de sangue e urina, com o objetivo de acompanhar sua saúde e criar parâmetros fisiológicos.

Nesse contexto, foi criado o passaporte biológico que, diferentemente do documento usado para viagens internacionais, é um arquivo eletrônico em que os indicadores dos exames desses esportistas são registrados.

A cada nova amostra é realizada uma análise complexa para comparação dos resultados. Caso demonstrem alguma anormalidade, o atleta precisará provar que não está fazendo uso de nenhuma substância irregular.

Qual sua importância contra o doping?

Usado desde 2009 pela Agência Mundial Antidoping (WADA), esse arquivo é uma ferramenta fundamental no programa de combate ao doping. Ele é composto por três indicadores: sanguíneo, esteroide e endócrino.

Powered by Rock Convert

Os resultados desses exames ficam guardados em um sistema internacional integrado da WADA, e são uma forma de avaliar o uso de drogas de aumento de desempenho.

A cada momento, novas substâncias, ainda desconhecidas, são utilizadas, e, inicialmente, podem não ser detectadas nos testes convencionais. Por isso, a criação desse controle é um importante instrumento para estabelecer parâmetros e, assim, identificar algo suspeito em determinado indivíduo com base em seus indicadores anteriores.

Quais seus principais benefícios?

Esse registro contínuo dos exames ajuda a monitorar as mudanças nos indicadores fisiológicos e, por meio delas, pode-se apontar se um indivíduo está usando substâncias ilícitas ou participando de práticas ilegais. Por isso, esse programa é o que há de mais moderno no controle antidoping.

Além disso, pode auxiliar na descoberta de alguma doença oculta. Isso porque, por meio das flutuações anormais dos parâmetros, são realizados alguns testes mais específicos para identificar a causa.

Em alguns casos, a origem dessa alteração pode estar relacionada a uma doença ou disfunção do organismo. Com esse resultado, o atleta poderá iniciar o tratamento médico adequado de forma precoce, aumentando a probabilidade de restaurar sua saúde. 

Como visto, a união entre a ciência e a tecnologia criou uma ferramenta essencial na detecção de substâncias proibidas, mesmo as que ainda não são completamente conhecidas nos exames laboratoriais.

Dessa forma, o passaporte biológico do atleta é uma medida importante no controle de doping, e pode ser utilizado para garantir uma disputa mais honesta e justa entre os jogadores, além de assegurar a saúde e segurança deles.

Gostou de saber sobre a importância desse documento e seu papel no combate ao uso de drogas no esporte? Para ficar por dentro de mais assuntos como este, assine nossa newsletter e receba as novidades sobre direito desportivo diretamente em seu e-mail. 

Contato EspecialistaPowered by Rock Convert

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário