Direito Desportivo

Quanto ganha um jogador de base? Confira!

fevereiro 4, 2020
quanto ganha um jogador de base
Tempo de leitura 9 min

O jogador de base é aquele atleta em início de carreira. Normalmente, estão nesse grupo as crianças e adolescentes aprovados em testes ou descobertos pelos chamados olheiros. Mas quanto ganha um jogador de base?

O jogador de base é aquele atleta em início de carreira. Normalmente, estão nesse grupo as crianças e adolescentes aprovados em testes ou descobertos pelos chamados “olheiros“. Mas quanto ganha um jogador de futebol da base?

Esse é um assunto que depende de diversos fatores e que pode mudar de um clube para outro. Ainda assim, é algo que interessa a muitas pessoas que sonham em ser jogadores de futebol ou que querem ver os sonhos realizados de filhos, sobrinhos e netos.

Neste artigo, você entenderá melhor como funciona o trabalho exercido pelos atletas de base e qual é a média salarial desses jogadores. Além disso, saberá quais são os principais cuidados que devem ser tomados com jogadores mirins, segundo a legislação brasileira. Confira!

Quanto ganha um jogador de futebol da base?

Os jogadores de base na faixa etária dos 10 aos 14 anos não recebem salário, mas sim uma bolsa auxílio, também chamada de ajuda de custo, que representa um valor que varia entre R$ 300 e R$ 500,00.

Após os 16 anos, os profissionais já podem assinar um contrato e os salários se elevam. A base salarial varia de acordo com o estado, mas os valores giram em torno de um salário base de R$ 1.000,00.

Entretanto, ao assinar o contrato, além do salário nominal, os atletas passam a ter direito ao recebimento de benefícios como luvas, os bichos, o direito de arena e o direito de uso de imagem, o que pode representar valores expressivos, variando de acordo com o desempenho do atleta.

Existe um piso salarial para jogadores de futebol?

Muitas pessoas acreditam que jogadores ganham milhões de reais de salário. Isso até acontece e existem casos em que o atleta faz muito dinheiro, principalmente com produtos licenciados e contratos publicitários. A realidade, no entanto, é um pouco diferente.

Para se ter uma ideia, de acordo com a CBF (Confederação Brasileira de Futebol), 82% dos jogadores recebem até dois salários mínimos por mês. Somente 2% ganham mais do que 20 salários mínimos. Por isso, é importante estar consciente do futuro dos jovens atletas.

Atualmente não existe um piso salarial. O que há são sindicatos de atletas e de jogadores de futebol. Essas entidades conseguem dar orientações, oferecer apoio jurídico e oferecer benefícios, como tratamentos contra lesões. Elas também estabelecem pisos salariais para jogadores associados.

Em São Paulo, por exemplo, o Sindesporte (Sindicato dos Empregados de Clubes Esportivos e Recreativos e em Federações, Confederações e Academias Esportivas) e o Sindi-clube (Sindicato dos Clubes do Estado de São Paul) estabeleceram, na capital, os valores de:

  • R$ 1.010: clubes da capital com mais de 30 empregados;
  • R$ 948: clubes da capital com até 30 empregados.

Já para interior e litoral, os valores são:

  • R$ 1.010: clubes da capital com mais de 60 empregados;
  • R$ 948: clubes da capital com até 60 empregados.

Por isso, antes de fechar um contrato, é importante se informar a respeito das instituições da sua região e ver as determinações relacionadas aos rendimentos. Isso é importante para não frustrar o jovem atleta e para que ele consiga planejar sua carreira com mais assertividade.

Isso também ajuda os pais para que eles consigam planejar investimentos na carreira e outros gastos inerentes à profissão de atleta desportivo.

Como os salários são compostos?

Além do salário em carteira, alguns clubes compõem o salário adicionando itens e benefícios. Veja abaixo alguns deles:

  • luvas: valor oferecido ao jogador de futebol no início do contrato;
  • bichos: prêmios pagos aos atletas quando o time tem bom desempenho;
  • participação no valor do passe: quando um clube vende o passe do atleta e o jogador recebe uma porcentagem da negociação;
  • direito de arena: porcentagem do valor que os clubes recebem para autorizar a transmissão dos jogos;
  • licença do uso de imagem: valor pago ao atleta por uso de sua imagem em contratos publicitários assinados pelo clube.

Tudo depende do clube, e essas composições podem mudar. Os pagamentos são realizados na medida em que o clube o recebe, não devendo obedecer aos vencimentos normais dos salários fixos dos jogadores de base.

Quais são os cuidados que devem ser tomados com o jovem atleta?

É importante que os pais e/ou responsáveis pelo atleta menor de idade tenham consciência acerca dos cuidados que devem ser tomados com relação ao corpo do atleta.

Segundo preceitua o Estatuto da Criança e do Adolescente, é imprescindível prestar toda assistência necessária para a manutenção da saúde física e mental do menor, sendo necessário o acompanhamento médico e psicológico.

A carreira de atleta exige dedicação por parte dos jovens, e os familiares são responsáveis por oferecer toda a assistência necessária para que os mesmos consigam atingir seus objetivos sem o prejuízo da sua saúde.

Além disso, todos os contratos e obrigações entre o clube e o atleta são firmados por meio dos pais ou responsáveis, já que os atletas de base normalmente não têm idade para firmar compromissos contratuais.

Nesse sentido, todas as obrigações assumidas devem estar em consonância com a busca pela segurança física e jurídica dos atletas, a fim de evitar problemas com os órgãos de fiscalização, como o Ministério Público.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Os pais precisam buscar assessoria jurídica para a carreira dos filhos?

A assessoria jurídica oferece todo o suporte para que os responsáveis pelos jogadores de base possam garantir o efetivo respeito à legislação e aos interesses do menor.

É possível encontrar advogados especializados em direito desportivo. Esses profissionais têm todo o embasamento técnico e a experiência para auxiliar na discussão de cláusulas contratuais, direitos trabalhistas, direito de imagem, seguro de vida, vistos internacionais e demais assuntos relacionados à profissionalização da prática esportiva.

Como você pode ver, o jogador de base precisa estar assessorado pelos pais, que, por sua vez, devem buscar bons profissionais para garantir o crescimento de uma carreira sólida e segura para os seus filhos.

É importante compreender cada detalhe dos documentos e saber oferecer ao jovem atleta toda a segurança e compreensão que ele precisa em um início de carreira no esporte.

Gostou de saber quanto ganha um jogador de futebol da base? Quer saber mais sobre o assunto e receber todo apoio jurídico que precisa para fazer tudo como sempre planejou? Entre em contato com a gente e veja como podemos ajudar você!

O jogador de base é aquele atleta em início de carreira. Normalmente, estão nesse grupo as crianças e adolescentes aprovados em testes ou descobertos pelos chamados olheiros. Mas quanto ganha um jogador de base?

Neste artigo, você entenderá melhor como funciona o trabalho exercido pelos atletas de base e qual é a média salarial desses jogadores. Além disso, saberá quais são os principais cuidados que devem ser tomados com jogadores mirins segundo a legislação brasileira. Confira!

Quanto ganha um jogador de base?

Os jogadores de base na faixa etária dos 10 aos 14 anos não recebem salário, mas sim uma bolsa auxílio, também chamada de ajuda de custo, que representa um valor que varia entre R$ 300 e R$ 500,00.

Após os 16 anos, os profissionais já podem assinar um contrato e os salários se elevam. A base salarial varia de acordo com o estado, mas os valores giram em torno de um salário base de R$ 1.000,00.

Entretanto, ao assinar o contrato, além do salário nominal, os atletas passam a ter direito ao recebimento de benefícios como luvas, os bichos, o direito de arena e o direito de uso de imagem, o que pode representar valores expressivos, variando de acordo com o desempenho do atleta.

Quais são os cuidados que devem ser tomados com o jovem atleta?

É importante que os pais e/ou responsáveis pelo atleta menor de idade tenham consciência acerca dos cuidados que devem ser tomados com relação ao corpo do atleta.

Segundo preceitua o Estatuto da Criança e do Adolescente, é imprescindível prestar toda assistência necessária para a manutenção da saúde física e mental do menor, sendo necessário o acompanhamento médico e psicológico.

A carreira de atleta exige dedicação por parte dos jovens, e os familiares são responsáveis por oferecer toda a assistência necessária para que os mesmos consigam atingir seus objetivos sem o prejuízo da sua saúde.

Além disso, todos os contratos e obrigações entre o clube e o atleta são firmados por meio dos pais/responsáveis, já que os atletas de base normalmente não têm idade para firmar compromissos contratuais.

Nesse sentido, todas as obrigações assumidas devem estar em consonância com a busca pela segurança física e jurídica dos atletas, a fim de evitar problemas com os órgãos de fiscalização como o Ministério Público.

Os pais precisam buscar assessoria jurídica para a carreira dos filhos?

A assessoria jurídica oferece todo o suporte para que os responsáveis pelos jogadores de base possam garantir o efetivo respeito à legislação e aos interesses do menor.

É possível encontrar advogados especializados em direito desportivo. Esses profissionais têm todo o embasamento técnico e a experiência para auxiliar na discussão de cláusulas contratuais, direitos trabalhistas, direito de imagem, seguro de vida, vistos internacionais e demais assuntos relacionados à profissionalização da prática esportiva.

Como você pode ver, o jogador de base precisa estar assessorado pelos pais, que, por sua vez, devem buscar bons profissionais para garantir o crescimento de uma carreira sólida e segura para os seus filhos.

Gostou de saber quanto ganha um jogador de base? Então, assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos relevantes sobre direito desportivo.

Maiores informações ligue nos números:

F.: (11) 2403-3180 / (11) 3988-1620 / (11) 94132-5853

Endereço: Rua Antônio Artoni , 131/135 – V. florida

Contato EspecialistaPowered by Rock Convert

Você também pode gostar

1 comentário

  • Avatar
    Responder CESAR ALONSO CARRERA fevereiro 26, 2020 at 7:45 pm

    Joguei futebol, e posso falar. Eu também gostaria de ganhar bem como ganham hoje os jogadores de futebol, porém na crise que esta os CLUBES de futebol hoje, é uma vergonha dirigentes pagarem tanto a jogadores que nem o segundo grau completo tem, querem ganhar tanto, que também tenham deveres. Coisa que nenhum tem, se jogar bem jogou, se não jogou bem dane-se. Ninguém me tira do coração, que neste meio também tem a tal CORRUPÇÃO BRASILEIRA. Te pago 200, mais digo que custou 400. Pois pagar 400, a 1.200 que ganha o Gabi Gol do Flamengo é um disparate aos demais jogadores Brasileiros. Enquanto houver este tipo de Diretores os malandros se criam. O teto Salarial de jogador de futebol no brasil deveria ser no máximo 50 mil, quer ganhar mais, vai trabalhar, não sabem fazer mais nada, e nem profissão nenhum tem. Senhores Diretores vocês serão os culpados pela falência dos seus Clubes por ma Gestão, ou por ma conduta. Pronto falei.

  • Deixe um comentário