Orientações Gerais

Racismo no futebol: desafios e iniciativas no mundo

julho 3, 2023
racismo no futebol
Compartilhe este conteúdo

O futebol, como um dos esportes mais populares e apaixonantes do mundo, infelizmente, também é um terreno onde o racismo persiste como um problema persistente e preocupante. Ao longo dos anos, incidentes de discriminação racial têm manchado o cenário do futebol, tanto em nível nacional quanto internacional, destacando a necessidade urgente de enfrentar esse desafio. 

Os repetidos casos envolvendo o brasileiro Vinicius Jr representam bem isso. Apesar dos esforços para promover a inclusão e a diversidade no esporte, jogadores negros e de origens étnicas diversas continuam sendo alvo de insultos, comportamentos discriminatórios e agressões raciais. É essencial buscar soluções efetivas para resolver este problema.

O que é o racismo no futebol?

O racismo no futebol é uma questão preocupante que tem sido observada há décadas e continua a ser um problema em muitas partes do mundo. Apesar dos esforços para promover a inclusão e a diversidade no esporte, incidentes de discriminação ainda ocorrem tanto dentro como fora dos campos de futebol.

Isso pode se manifestar de várias formas, desde insultos verbais e cânticos ofensivos até comportamentos discriminatórios e agressões físicas. Jogadores negros e de origens étnicas diversas frequentemente são alvo de insultos raciais por parte de torcedores, colegas de equipe adversários ou até mesmo por pessoas do seu próprio time. 

racismo no futebol

Esses atos de racismo podem ter um impacto devastador na saúde mental e no bem-estar dos jogadores, afetando sua confiança, motivação e desempenho no campo. Por isso, as organizações esportivas e os órgãos reguladores do futebol têm tomado medidas para combater o racismo no esporte, ainda que muitas vezes se questione por serem brandas.

A FIFA e a UEFA, por exemplo, têm políticas e regulamentos específicos que condenam o racismo e impõem sanções aos envolvidos em atos discriminatórios. Além disso, várias campanhas de conscientização foram lançadas, como a “Kick It Out” na Inglaterra, que busca educar e conscientizar as pessoas sobre a importância da igualdade e do respeito no futebol.

Leia mais:  7 dicas de como prevenir lesões no esporte

No entanto, apesar desses esforços, o combate ao racismo no futebol ainda é um desafio contínuo. Muitas vezes, é difícil identificar e punir os responsáveis pelos atos racistas, e a falta de punições efetivas pode levar a uma sensação de impunidade. Além disso, a cultura do futebol em alguns países ainda não está suficientemente sensibilizada para a gravidade do racismo, o que dificulta a erradicação desse problema.

Casos de racismo no futebol

Infelizmente, os casos de racismo no esporte são muito antigos. No futebol, não é diferente. Eles ocorrem em grande quantidade e atualmente não é diferente. Alguns casos mais recentes, tanto no Brasil quanto no exterior, demonstram bem isso.

Em 2014, por exemplo, durante uma partida da Copa Libertadores entre Real Garcilaso, do Peru, e Cruzeiro, do Brasil, o jogador Tinga, do Cruzeiro, foi vítima de insultos racistas por parte da torcida adversária. Os insultos foram amplamente condenados e geraram repercussão internacional. Outro exemplo é o caso envolvendo o ex-goleiro Aranha, alvo de torcedores em partida contra o Grêmio.

No exterior, Mario Balotelli, jogador italiano de origem ganense, já foi alvo de racismo em várias ocasiões durante sua carreira. Em 2013, quando jogava pelo Milan, ele foi insultado por torcedores da Roma com cânticos racistas. Em 2020, inclusive, durante uma partida do Campeonato Português entre Vitória de Guimarães e Porto, o jogador Moussa Marega, do Porto, abandonou o campo após ser alvo de insultos racistas da torcida do Guimarães. O caso gerou grande repercussão e levantou debates sobre o combate ao racismo no futebol.

Mais recentemente, não há como deixar de fora a discussão sobre os intensos casos de racismo sofridos por Vinícius Jr na Espanha. Eles vêm de torcidas adversárias, jogadores e até mesmo da imprensa. O caso chegou a um nível tão alto que até as autoridades brasileiras se manifestaram em repúdio.

Leia mais:  8 recomendações para ter uma viagem de teste de futebol segura

O que diz a lei?

As leis que tratam do racismo no futebol podem variar de acordo com o país e as jurisdições específicas. Ou seja, no Brasil e na Espanha, por exemplo, pode haver diferença. No entanto, há algumas informações gerais sobre como o racismo no futebol é abordado legalmente em muitas partes do mundo.

Muitos países possuem leis que criminalizam o discurso de ódio, incluindo o racismo. Essas leis podem ser aplicadas aos incidentes de racismo no futebol, tanto dentro dos estádios como em outros contextos. Elas geralmente proíbem insultos raciais, discriminação e incitação ao ódio racial. As penalidades podem variar, incluindo multas, prisão e até mesmo proibições de frequentar eventos esportivos.

Outro elemento é que as próprias organizações esportivas, como a FIFA e as federações nacionais têm seus próprios regulamentos e códigos disciplinares para lidar com o racismo no futebol. Esses regulamentos estabelecem diretrizes específicas e sanções para casos de racismo, que podem incluir multas, suspensões e até mesmo a exclusão de competições.

É importante ressaltar que a efetividade das leis e regulamentos depende da sua implementação e aplicação adequadas. O desafio muitas vezes reside em identificar os responsáveis pelos atos racistas e garantir que sejam devidamente responsabilizados. Além disso, a educação, a conscientização e as campanhas antirracismo também desempenham um papel fundamental na luta contra o racismo no futebol.

À medida que a conscientização sobre o racismo no futebol continua a crescer, espera-se que mais ações sejam tomadas para combater essa forma de discriminação. A luta contra o racismo é um esforço contínuo e requer uma abordagem abrangente, envolvendo a educação, a legislação e a conscientização para criar um ambiente verdadeiramente igualitário.

Acesse nosso blog para se informar e junte-se à luta contra o preconceito racial no futebol!

Você sabe com quantos anos o menor pode assinar um contrato como jogador de futebol? Você sabe quais os direitos trabalhistas que o jogador de futebol possui? Nós, da Advocacia Maria Pessoa estamos à disposição para te auxiliar! Somos um escritório de Advocacia com assessoria jurídica desportiva especializada que conta com profissionais capacitados para as mais diversas demandas. Atuamos na área do Direito Desportivo, Direito Trabalhista, Direito Cível, Direito de Família e Direito Previdenciário. Podemos te auxiliar? Entre em contato conosco e agende sua visita em nosso escritório: (11) 2403-3180, (11) 97053-3654 (Whatsapp), e-mail: maria.pessoa.lima@terra.com.br . Ficaremos honrados em atendê-lo!

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply